Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético

Controle da compulsão alimentar é o primeiro passo na luta pelo emagrecimento



São Paulo, setembro de 2013 –Atualmente,a alimentação compreende elementos muito mais complexos do que antigamente. O“comer” tem importantes componentes emocionais e sociais e envolve as atitudes de cada um em relação aos alimentos, ao ambiente e em relação a nós mesmos.


Em alguns casos, a dificuldade em controlar o peso pode estar ligada a alterações no padrão e no comportamento alimentar.  O entendimento de algumas dessas mudanças pode ajudar a melhorar a qualidade de vida e, também, pode ser fundamental para ajudar no processo de emagrecimento.

Os transtornos alimentares são muito comuns, estão presentes no dia a dia e, muitas vezes, passam despercebidos por quem sofre deste mal. O Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP),por exemplo, é um quadro conhecido pelos médicos desde a década de 50. Como o próprio nome diz, nele ocorrem momentos de “compulsão alimentar”. Neste caso, é comum a ingestão de uma grande quantidade de alimentos e sensação de perda de controle durante os episódios.

Existem períodos ou situações em que as pessoas comem de forma mais ou menos compulsiva como festas,comemorações ou locais com uma oferta ilimitada de alimentos. Às vezes, porém,esse “jeito de comer” se torna frequente e causa muito sofrimento. É comum as pessoas que sofrem de TCAP comerem rapidamente, até se sentirem desconfortáveis,e preferirem se alimentar sozinhas por vergonha da quantidade que ingerem. Diante desse quadro,pode haver angústia e culpa pela forma com o indivíduo se alimenta.

O TCAP pode acometer qualquer pessoa, no entanto, é mais comum em quem sofre de obesidade. Cerca de um terço das pessoas com obesidade tem Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica.  Até a metade dos indivíduos que fazem cirurgia bariátrica pode ter o problema.


Tratamento

O passo inicial para a mudança é o diagnóstico e o médico mais preparado para identificar esse tipo de problema é o psiquiatra. “O profissional procura conhecer o paciente de forma mais completa e vai discutir com ele as opções de tratamento, tentando mudar sua relação com a comida. Em alguns casos, pode-se lançar mão de medicamentos para ajudar a controlar o apetite, o impulso para comer e a ansiedade. Esses medicamentos são introduzidos em doses baixas,produzem poucos efeitos colaterais e não viciam”, explica o *Dr. Marco Antonio Abud Torquato Junior – Médico psiquiatra assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo e do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP.


Na maioria dos casos, o tratamento envolve a psicoterapia. A técnica também ajuda as pessoas aconhecerem mais sobre si mesmas, sobre os momentos em que sentem mais fome,sobre o que as leva a comer e treinam maneiras de se alimentar de formadiferente.
Estudos mostram que a terapia sozinha pode melhorar a compulsão alimentar e,consequentemente, o peso. Quando a terapia está em paralelo ao acompanhamento nutricional e medicamentoso, os resultados são bem melhores.  Pesquisas mostram ainda que o tratamento do TCAP melhora a qualidade de vida e o controle do peso, após a cirurgia bariátrica.
* Dr. Marco Antonio Abud Torquato Junior - Médico psiquiatra assistente do Hospital Universitário da USP e do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP (marcoaatj@gmail.com)
Maisinformações:
BPG3Comunicações
 
Top