Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético

 

Sociedade conectada exigirá um novo sistema de saúde totalmente repensado.

Tecnologia revolucionará o sistema de saúde mundial blog resized 600

Novas Ciências em Desenvolvimento: A nanotecnologia, biotecnologia, neuroergonomia e a medicina avançada são apenas algumas das tecnologias que provavelmente mudarão o mundo e a área médica nos próximos anos. Dessa forma surgirá o ser humano 2.0, aprimorado por meio de implantes robóticos, terapias genéticas, entre outros tratamentos.

De acordo com Paulo Vicente Alves, professor da Fundação Dom Cabral e keynote speaker do Saúde Business Forum 2013, em 2020, o mundo passará por uma crise e, após ela, uma nova onda de tecnologia acontecerá, talvez com relação à biorobótica. Outra previsão é que por volta de 2060, os computadores serão mais capazes que os seres humanos, por isso, segundo Alves, não fará mais sentido sermos “apenas humanos”. A ideia de seres humanos híbridos, com partes de tecnologia implantadas em nossos corpos passará a ser aceita lentamente.

Outro ponto fundamental da apresentação de Paulo Alves é o aumento da expectativa de vida. Já conseguimos atingir resultados interessantes nesse assunto, mas a evolução é interminável. Cientistas já conseguiram triplicar a expectativa de vida de um rato em laboratório. Agora imagine quando os seres humanos passarem a viver mais de 200 anos. Previsões indicam que envelhecer não será mais uma realidade do ser humano, pois muitos estudiosos encaram o envelhecimento como uma doença que deixará de existir em breve. Com isso, um novo sistema de saúde será necessário, fazendo com que os sistemas de previdência entrem em crise.

Para esse estudo, Paulo Alves utilizou um modelo matemático que analisa a história humana desde o ano de 1500, prevendo possibilidade sobre como será o século XXI. No entanto, o professor afirma que sua pesquisa é passível de erros, mesmo sendo baseada em dados matemáticos e históricos concretos. Suas previsões podem não se concretizar. Além disso, Alves é pessimista com relação ao futuro do Brasil. Como o país investe pouco em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, potências como EUA e Alemanha ganham vantagem no cenário de inovação tecnológica no século XXI.

A necessidade de novos modelos de negócios: Novos modelos de negócios do estilo home-office estão surgindo no mundo, levando cada vez mais a internet para nossas residências, agora transformadas em escritórios domiciliares, diz o neuroergonomista Henrique Alves, especialista em ergonomia desde 2001, pela PUC-Rio e editor de uma página que atinge 46 milhões de visualizações por mês nas redes sociais.
Reuniões e seminários via web deixaram de ser cenas de filmes de ficção científica e já fazem parte do cotidiano de boa parte dos empresários brasileiros, diz Alves.

Realizar negócios pela internet, e principalmente pelas redes sociais, onde o Brasil ocupa o terceiro lugar no mundo em percentuais de acesso, tem sido sinônimo de resultado garantido, com baixo investimento em marketing, se comparado com campanhas offline, extremamente caras.

O uso da neuroergonomia: Hoje, a desconhecida neuroergonomia, área da ergonomia que procura compreender os processos mentais relacionados com as interações do ser humano com o mundo externo e com seus pensamentos, de forma a tomas decisões e adaptações, tem sido explorada não somente para o mundo do trabalho, mas para o estudo do comportamento consumidor humano frente às redes sociais. A chamada Análise Interacional da Tarefa permite identificar tendências de aceitação de postagens na rede social, fazendo com que elas possam atingir um público maior através da chamada viralização, situação em que, após a postagem ser visualizada por parte dos seguidores de uma página, é imediatamente comentada, curtida, compartilhada ou recomendada aos amigos, ampliando em progressão geométrica a divulgação e o alcance do que foi postado, afirma Alves, que desenvolve observações sistemáticas de diversas páginas do Facebook, com o objetivo de adequá-las tanto do ponto de vista de aceitação, quanto ao ponto de vista de visualização em pesquisas no maior buscador da internet atual, o Google Search.

- "Já criamos fanpages que, em menos de 48 horas, atingiram 10 mil seguidores sem qualquer investimento em impulsionamento. Foram duas demandas reprimidas que identificamos e exploramos. Isso foi um grande impulso viral", diz Alves.

É um negócio sério e lucrativo, mas que precisa ser compreendido como de extrema necessidade para quem está utilizando a rede social para se promover ou promover produtos e serviços e não quer perder tempo nem dinheiro. Isso trará melhor custo x benefício, o chamado ROI (Return Over Investment).

Os adoecimentos da vida moderna: Novos empreendimentos estão surgindo. E dessa maneira, novas ocupações sendo criadas, como gestores de conteúdo em redes sociais, copywriters de anúncios, criadores de infoprodutos, curadores de páginas em redes sociais, analistas de comportamento, info-afiliados, atendentes de redes sociais, facilitadores de interação em grupos e muitas outras ocupações extremamente flexíveis, para atendimento à enorme demanda de crescimento nas vendas por redes socias e internet em geral.
E todas essas novas ocupações são desempenhadas em modelo informatizado, cada vez com mais mobilidade.     
Dentro desse modelo é mais confortável e menos penoso trabalhar mais horas por semana, com menos despesas de transporte e stress relacionado ao transporte. Da mesma forma, ir ao shopping fazer um lanche na praça de alimentação pode ser também uma oportunidade de realizar negócios, com a utilização de tablets e smartphones.
No entanto, como sempre costuma acontecer no mundo do trabalho, modelos mais flexíveis de ocupação podem deixar a desejar no arranjo físico e na carga mental de seus operadores informatizados. A carga mental, o stress, a informalidade e a instabilidade financeira precisam ser encarados como fatores desencadeadores de doenças, principalmente as mentais, das quais a depressão já é considerada o mal do século.

Fiquem atentos, portanto, ao uso indiscriminado de dispositivos móveis que, embora nos aproximem de diversas pessoas digitalmente, podem nos afastar do convívio presencial familiar, das trocas de olhares, bate-papos informais de fim de tarde e outras situações importantes utilizadas para o alívio do stress do dia a dia.

Migração do modelo assistencial: Devido ao avanço das novas tecnologias, as pessoas estão se sentindo mais confortáveis em fazer consultas médicas por meio da Internet, seja por e-mail, videoconferência ou mensagem de texto. O mundo digital está começando, ao menos nos Estados Unidos, a participar ativamente do método clínico, criando novos meios para buscar informações, diagnósticos ou tirar dúvidas.
Confira o infográfico criado pela Cisco que mostra o impacto do meio digital nessa experiência e o papel da Internet na assistência médica.





 
Top