Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético

História fictícia criada para esclarecer sobre a fisioterapia na saúde masculina.
Henrique Alves
A sprew jews apresenta!!!
Mais uma velha história de herói!!!
Ah, que nada, essa é a história de um cara franzino, muito parecido com muita gente que conhecemos!
Acho que até com você! E por quê não?

Bom, deixa eu apresentar nosso herói:

Cadimorélio é filho de Dona Cátia e do Seu Aurélio.
Obviamente, seu nome foi devido à união dos nomes de ambos, adotado emergencialmente em virtude de um fatídico erro no sexo anunciado pelo obstetra durante a gravidez. Então,  a Diana que não nasceu, deu lugar a uma nada convencional aglutinação da Cátia com Diana e Aurélio, o Cadimorélio!

Motivo de chacota pra muita gente, que o apelidara carinhosamente de "cadinho", nosso herói foi crescendo lá pras bandas do interior de Pernambuco, até que, por força da necessidade de estudo, "pau-de-ararou-se" para São Paulo em busca de emprego que pudesse custear o estudo.

Daqueles que têm sangue nos "ói", arrancou elogios de todos os seus patrões por onde andou, destacando-se desde novo em todos os empregos, que lhe renderam apoios econômicos na abertura de um negócio de representação de produtos que se especializou em escolher para seus antigos patrões, agora seus primeiros clientes de um lucrativo e crescente negócio.

Mas nosso herói não estava feliz.
Meio que  entendendo e se conformando com o erro médico anterior a seu nascimento, não se sentia um "bem dotado" no poder da sedução. 
Nos seus 1,68 de altura, se via meio que tímido perto das lindas paulistanas que conhecia, altas que ficavam sobre seus saltos enormes, olhando inevitavelmente para baixo, para aquele "cadinho" de gente.
No entanto, homem de sucesso e enriquecendo, não conseguia se livrar do apelido de infância e da grande timidez, consequente talvez, das brincadeiras de ainda garoto.

Até que um dia, um fato curioso aconteceu...

http://bit.ly/ZePequenoPegador

Nossa vida mudou completamente!


Fisioterapia no tratamento da ejaculação precoce

Daiane Becker, Membra da Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica, Urológica e Coloproctolológica - 11/03/2014

Ejaculação Precoce
A ejaculação precoce é uma queixa comum entre os brasileiros. Segundos estatísticas, 25% da população sofrem com esse problema, acometendo desde homens mais experientes até jovens iniciantes. Suas causas abrangem uso de nicotina, freio curto, infecções prostáticas, estresses, traumas, experiências frustradas, medo entre outros.

Entretanto todos os homens são capazes de controlar e retardar o momento da ejaculação. Pelo fato do processo ser um ato mecânico, envolvendo respostas neurológicas e musculares (musculatura pélvica), ou seja, quando aprendemos, reconhecemos e aperfeiçoamos esse sistema temos melhor controle e noção do processo ejaculatório.


A fisioterapia através de aparelhos e exercícios realizados na musculatura pélvica auxilia o homem a controlar a ejaculação, através do reconhecimento e do treinamento da musculatura pélvica. Ao terem melhor conhecimento muscular e anatômico o paciente passa a retardar bem como inibir o processo ejaculatório melhorando sua vida sexual e a qualidade da relação com sua companheira.


Os resultados da terapia são muitos satisfatórios com 97% de cura, contudo as sessões devem ser realizadas com seriedade e a continuidade do tratamento também. Alem disso são orientados aos pacientes técnicas de respiração, postura durante o ato sexual, técnicas de distrações entre outras.


Converse com seu urologista a respeito ou procure um fisioterapeuta especializado em urologia ou uroginecologia. A psicoterapia também é fundamental para o sucesso do tratamento.


Esse conjunto garantirá uma vida sexual mais feliz, tanto para você quando para sua companheira.



Daiane Becker (Ver Perfil)
Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica,
Urológica e Coloproctolológica
Crefito 179678-F

O QUE É A FISIOTERAPIA UROGINECOLÓGICA?

A fisioterapia uroginecológica, também conhecida como Reabilitação do Assoalho Pélvico, atua no tratamento conservador das disfunções urogenitais e anorretais contribuindo para o bem estar físico e social de mulheres e homens que são acometidos por estas disfunções.

Situações como incontinência urinária, incontinência fecal, urgência miccional, intestino preso, flacidez perineal, disfunções sexuais, vaginismo, dores pélvicas, prolapsos genitais (popularmente conhecidas como “queda de bexiga”), cirurgias pélvicas, prostatectomia radical, são os focos principais da atuação da fisioterapia uroginecológica.

Podem ser submetidas ao tratamento, homens e mulheres que apresentam incontinência urinária e fecal de qualquer natureza, disfunções sexuais, dores pélvicas e pacientes com déficit neurológico que comprometa a função gênito-urinária.

No tratamento fisioterapêutico são utilizados diversos recursos como a cinesioterapia (exercícios de Kegel), estimulação elétrica, exercícios proprioceptivos, biofeedback, calendário miccional (treino da bexiga), orientações gerais prescritas após minuciosa avaliação e reavaliação constante.

A atenção fisioterapêutica melhora e diminui as disfunções da estática lombopélvica, facilitando a função uroesfincteriana e promovendo até a correção de outras disfunções. Pacientes com essas características podem e devem ser tratadas por esse método: simples, indolor e eficaz!

Publicado em setembro 17, 2012 por Dr. Wellington

Publicado em Temas Urológicos por Dr. Wellington. Marque Link Permanente.
- See more at: http://urobrasilia.com.br/?p=204#sthash.3rzHntxO.dpuf





 
Top