Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético

Filho de mãe obesa tem risco 35% maior de morrer mais jovem

Quem tem mãe com sobrepeso também é prejudicado: risco aumenta 11%.
São necessárias estratégias de controle de peso antes de gravidez.

http://www.fisiobrasil.com.br/main.asp?link=noticia&id=1342

Hipertensão é a principal causa de morte entre gestantes e mulheres que dão a luz

Os filhos de mães obesas têm 35% mais risco de morrer prematuramente na idade adulta, revela um estudo publicado nesta quarta-feira pelo "British Medical Journal" (BMJ), que alerta sobre a crescente epidemia de obesidade.

Os pesquisadores analisaram, na Escócia, 37.709 filhos de 28.540 mulheres nascidos entre 1950 e 1976. Durante o estudo, estas pessoas tinham entre 34 e 61 anos, e 6.551 já haviam morrido, por diferentes causas.

No momento de dar à luz, 21% das mães tinham sobrepeso (índice de massa corporal - IMC - entre 25 e 29,9) e 4% eram obesas (IMC igual ou superior a 30).

Segundo os pesquisadores, o risco de morte prematura aumenta em 35% entre os adultos nascidos de mães obesas e em 11% no caso de mães com sobrepeso em relação ao grupo nascido de mães com peso normal.

Os adultos nascidos de mães obesas têm 42% mais probabilidade de ser hospitalizados por problemas cardiovasculares que os demais, destaca o estudo. "É necessário se criar urgentemente estratégias de intervenção para controlar o peso antes da gravidez", advertem os autores, lembrando que uma a cada cinco mulheres grávidas na Grã-Bretanha é obesa.

Nos Estados Unidos, cerca de 64% das mulheres em idade fértil têm sobrepeso, incluindo 35% de obesas, e a tendência é similar na Europa.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1,4 bilhão de pessoas com mais de 20 anos tinham sobrepeso em 2008, incluindo 300 milhões de mulheres e 200 milhões de homens obesos.

Os casos de obesidade têm se multiplicado em escala mundial desde 1980, quando o percentual de mulheres obesas na hora do parto era de 4%, lembra a professora Rebecca Reynolds, autora do estudo.


  


ATITUDE QUE MUDOU UMA VIDA



UM EXEMPLO A SEGUIR, MAS VOCÊ COMPREENDE?

Tracy Henderson, de 30 anos, de Glasgow, chegou a pesar 177 kg, quando resolveu mudar sua dieta e fazer exercícios, se tornando uma instrutora fitness recentemente. 
A mulher acordava no meio da noite, lutando para respirar devido à obesidade, e perdeu incríveis 114 kg em dois anos. 

Tracy Henderson, que agora é uma instrutora fitness, era tão gorda que não conseguia tomar banho corretamente,e nem colocar o cinto de segurança em volta de sua cintura. 
Tracy Henderson, que agora é uma instrutora fitness, era tão gorda que não conseguia tomar banho corretamente, e nem colocar o cinto de segurança em volta de sua cintura. 
Tracy Henderson era tão obesa que não conseguia tomar bando corretamente, e mudou radicalmente sua dieta para perder peso

Ela mudou sua dieta e iniciou a prática de exercícios físicos, alterando sua rotina de intimidações e preconceitos pelo peso, além da baixa estima. 


Tracy disse: “Eu era intimidada na escola e começava a comer mais para me fazer sentir melhor. Como eu era enorme, as pessoas começaram a gritar apelidos para mim na rua e até mesmo jogar as coisas de seus carros.” 

Tracy começou a ter ataques de pânico que a deixavam incapacitada, e foi diagnosticado aos 19 anos com agorafobia, um distúrbio de ansiedade que, na maioria das vezes, está associado às crises de medo. 

Ela foi repetidamente levada para o hospital devido a dores agonizantes no peito, onde os médicos disseram a ela para perder peso se quisesse viver bem. 

Depois de uma dieta de baixa gordura e se alimentando de carnes magras, legumes e frutas, Tracy rapidamente viu seu peso cair. 

Em apenas um ano ela perdeu 95 kg e sua agorafobia e a depressão tornaram-se coisas do passado. 

Ela agora pesa apenas 63 kg e acaba de se qualificar como uma instrutora fitness, a fim de ajudar os outros.

E QUE TAL UM ACOMPANHAMENTO SEMANAL, ALIADO A UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS E ALIMENTAÇÃO MAGRA? VEJA ABAIXO!






Sabe-se que cerca de 60% da população brasileira encontra-se acima do peso. O grau máximo desses números está situado nas grandes cidades. Pela vida corrida que as pessoas nas grandes metrópoles levam, acaba caindo no esquecimento a prática de uma vida saudável, que consiste em treinar o corpo, dia após dia.

Pode ser uma tarefa árdua, mas qual esforço não vale a pena, se temos o resultado desejado?

Garanta uma aposentadoria mais saudável. Aproveite seu tempo de descanso para viagens constantes, que te façam ver o resto do mundo que você não conseguiu conhecer em sua vida ativa.




Voltado para um público que necessita de resultados mais imediatos, mas duradouros, o programa D21, da fisioterapeuta Olivia Andriolo, tem feito sucesso entre mulheres que levam uma vida mais atribulada e não dispõem de muito tempo para frequentar uma academia! Olha os vídeos aí!
Este curso custa 297,00 e você pode adquirir após o vídeo.


Clique na imagem para assistir o vídeo

E que tal associar uma substituição de gordura por músculos? Massa magra!
 compre aqui
TENHA MAIS SAÚDE ATÉ O NATALE AINDA AJUDE QUEM PRECISA
Não fique de fora! Participe do grupo saudável para receber dicas da Revista FisioBrasil, encorajamento, exercícios, programas alimentares e tudo mais que possa te ajudar a atingir a meta de emagrecer com saúde até o natal.

Emagrecer para doar em alimentos!
 
Top