Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético


Comum em adultos de 20 a 50 anos, a disfunção da ATM causa muitos desconfortos faciais, mas pode regredir com compressas e massagens

A maioria dos casos de DTM acaba regredindo sozinha com tratamentos conservadores, como compressas quentes, anti-inflamatórios, repouso e massagens Foto: Kinga  / Shutterstock

O DTM, que costuma atingir pessoas entre 20 e 50 anos, se caracteriza por uma dor na região que começa fraca, mas que, ao longo do tempo, sem tratamento, vai piorando. Além disso, ela costuma vir acompanhada de dores de cabeça, zumbido no ouvido, pressão atrás dos olhos e até, nos casos mais graves, estalos com travas. 


“Como qualquer outra articulação, a ATM tem um disco articular que, às vezes, entra em descompasso e acaba se deslocando, causando dores em um primeiro momento e travamento em casos mais sérios”, diz Alessandro Silva, cirurgião buco maxilo facial e diretor da Interclin.


A maioria dos casos de DTM acaba regredindo sozinha (cerca de 10% precisam ser operados) com tratamentos conservadores, como compressas quentes, anti-inflamatórios, repouso e massagens. “A cirurgia é reservada apenas para os casos que falharam ao tratamento conservador. Eu diria que apenas 10 a 25% dos casos falham”, diz Alessandro. 


Causa e tratamento
Embora a DTM não tenha uma causa única e específica, existem algumas situações que podem levar ao desgaste ou a lesões nessa articulação, como malformação e desgaste, tensão da musculatura e degeneração do disco articular. “Entre as causas musculares estão às ligadas ao bruxismo, que é o apertamento noturno dos dentes, e as questões psicossomáticas ligadas a dificuldade de dormir e alto nível de stress”, diz o especialista. 


Cirurgião-dentistas, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e reumatologistas são alguns dos profissionais que podem ajudar a corrigir esse distúrbio. Para os casos cirúrgicos, a artroscopia, um tratamento já bastante usado para cuidar de joelhos, é uma opção inovadora. Essas micro-cirurgias, que usam uma câmera para investigar onde está o problema, precisam de somente um dia de internação e possuem um pós-operatório simples.




Você sente dores de cabeça, na face e no pescoço?  Pode ser disfunção da ATM
Novo aparelho promove o alívio imediato dos sintomas sem a necessidade de moldagens

A articulação que liga o maxilar inferior (mandíbula) ao osso temporal do crânio, localizado à frente das orelhas em cada lado da cabeça, é a chamada Articulação Temporomandibular, mais conhecida como ATM. Graças à flexibilidade desta articulação que controla a posição e os movimentos da maxila, você mastiga, fala e morde os alimentos. Porém, é comum encontrarmos pessoas que sofrem de disfunções nesta articulação.

Dentre os sintomas deste problema, que podem ser diferentes de uma pessoa para outra, estão: dores na face e nos maxilares, dificuldade para mastigar ou falar, ruídos, estalos e travamento ao abrir e fechar a boca, pressão atrás dos olhos, dor ou zumbido nos ouvidos, dor de cabeça, inchaço na lateral do rosto, problemas para dormir e dores constantes com períodos de piora no decorrer do dia.
A doença acomete principalmente adultos de 20 a 50 anos e algumas condições podem contribuir para o desenvolvimento de patologias na ATM, como: artrite ou impacto na articulação, ranger os dentes, estresse, e até mesmo a idade. A dificuldade ou o atraso no diagnóstico pode resultar em uma dor crônica e difícil de tratar. Com isto, a disfunção que poderia ser curada apenas dando umas férias ao músculo com o uso de um aparelho indicado para o caso, pode se tornar algo mais sério e envolver até mesmo cirurgias difíceis. Para lidar com as dores de ATM, diversos profissionais indicam o uso de placas de acrílico, mas o dispositivo, na maioria das vezes desconfortável, necessita de moldes e exige tempo e paciência do paciente, que em alguns casos já não consegue nem mesmo abrir a boca devido às dores.

Como uma nova alternativa efetiva para os sintomas de ATM, está disponível no mercado o aparelho australiano TMJ, uma opção mais confortável que os convencionais aparelhos de acrílico. O aparelho não necessita de moldagens e ajustes, apresenta base em aerofólio para descompressão articular e altera o comprimento da musculatura, resultando em uma diminuição imediata da tensão dos músculos e das dores agudas. O aparelho funciona também como uma ferramenta para diagnóstico do problema, pois a redução dos sintomas após um determinado tempo de uso do aparelho comprova a eficácia do tratamento e a presença da disfunção.

Alguns pacientes que não obtiveram resultado nem mesmo com fisioterapia e medicação, relatam sucesso com o uso de TMJ: “Aperto muito os dentes durante a noite, por isso nunca posso dormir sem alguma proteção. Já utilizei vários tipos de aparelhos. Há alguns meses comecei com uma dor no ombro que não passava por nada. Fiz fisioterapia, tomei medicação, mudei meus aparelhos e nada resolvia. Quando conversei com minha dentista e comecei a utilizar TMJ, na primeira noite acordei 80% melhor e em uma semana as dores acabaram,” afirma paciente de 40 anos, tratado pela Dra. Alécia Louzada, Mestre em Ortodontia e Especialista em Ortopedia Facial e ATM.

A melhor conduta para os casos de disfunção na ATM é sempre procurar um profissional da área. Procure seu dentista ou médico para uma melhor avaliação.

Matéria no Jornal Nacional da Rede Globo sobre os aparelhos:

Vídeo explicativo sobre o Aparelho TMJ:


 
Top