Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético



Antes de melhorar a capacidade de aprendizado, é importante saber como o cérebro aprende novas informações. Essa é uma pergunta que não está totalmente esclarecida e tem intrigado neurocientistas durante anos. Os mecanismos de aprendizado pelo cérebro são complexos e envolvem muitos fatores que ainda não são totalmente conhecidos.

Alguns dos fatores mais estudados que influenciam o aprendizado são a memória, o interesse e a atenção. Em linhas gerais, estratégias que melhorem a memória, que despertem o interesse e a atenção da pessoa, aceleram o aprendizado do assunto em questão. Dentro desse cenário, cientistas dão algumas dicas para melhorar a capacidade do cérebro em reter informação.

1. Organização. Organização na hora dos estudos ou do aprendizado de uma tarefa é fundamental para que o cérebro absorva a informação. A melhor dica é saber como você se sente mais confortável e qual o tipo de organização você prefere. Focar em uma atividade por vez ao invés de fazer muitas ao mesmo tempo também ajuda na organização.

2. Frequência ou repetição. Cientistas têm demonstrado que o cérebro retém melhor uma informação quando esta é repetida ou praticada várias vezes. Em linhas gerais, quanto mais uma pessoa realiza uma tarefa, mais o seu cérebro armazena essa informação e aprende a realizar a função. Isso acontece, pois os caminhos neuronais criados precisam ser fortalecidos, e isso acontece mediante repetição.

3. Intensidade. Além da frequência, é importante também a intensidade do estudo ou da prática a ser aprendida. Isso significa que quanto mais dedicação e rigor nos estudos, mais eficaz é o aprendizado. Em outras palavras: mais vale estudar 30 minutos por dia com afinco, do que 2 horas de maneira relapsa.

4. Atenção. Outro fator importante é a atenção dispensada durante o processo de aprendizado. Focar na tarefa realizada e dedicar-se o máximo possível são elementos cruciais para se aprender algo. Estudos apontam que informações que não chamam a nossa atenção tendem a ser esquecidas com mais facilidade.

5. Motivação e interesse. Cientistas têm mostrado que para o aprendizado ser eficaz é importante que o aprendiz esteja motivado a absorver determinada informação. Para isso, é importante que a pessoa entenda a importância de determinado assunto para desenvolver interesse por ele. Estudos mostram que pessoas aprendem mais rápido aquelas habilidades das quais elas se interessam mais.

6. Estabeleça conexões entre os assuntos. Uma maneira eficaz de turbinar o aprendizado é estabelecer conexões com situações que são familiares. Neurocientistas afirmam que devemos lançar mão das conexões neuronais fortes já existentes na hora de aprender algo novo. Isso mostra a importância em integrar os assuntos, ao invés de ensiná-los separadamente. Nesse sentido, é sempre importante se questionar qual a relevância daquele assunto para o seu cotidiano, qual o motivo em aprender aquilo e como essa nova habilidade muda a sua maneira de pensar.

7. Aprenda coisas novas constantemente. Nesse sentido, o cérebro é como um músculo que precisamos exercitar sempre. Quanto mais aprendemos coisas novas, mais fácil fica a capacidade do cérebro em formar conexões, ou seja, continuar aprendendo. É importante explorar as diversas áreas do conhecimento humano e estar em contato com assuntos diferentes, como artes, línguas, esportes, ciências, política, etc. Outra dica importante é aprender de maneiras variadas, usando diferentes métodos. Ao invés de estudar um livro apenas lendo, tente escutá-lo, pois isso estimula a audição e desencadeia diferentes respostas neuronais.

8. Entenda como você aprende melhor. Algumas pessoas aprender melhor escutando, outras, lendo. Saber como é a maneira mais eficaz para você é importante na hora dos estudos. Reconhecer os hábitos de estudo e suas potencialidades ajuda nesse processo.

9. Pratique o que você aprendeu. A prática é uma forma de repetir o que foi estudado na teoria, reforçando os circuitos neuronais recém-criados. Mesmo em situações abstratas, é possível praticar o conhecimento adquirido de alguma forma, como, por exemplo, ensinando outras pessoas.

10. Estimule a memória. Existe uma relação muito íntima entre memória e aprendizado, de maneira que quanto melhor for a memória de uma pessoa, mais eficaz é o aprendizado de algum assunto. Existem diversas técnicas para melhorar a memorização como sublinhar textos, fazer anotações do assunto estudado, usar mapas mentais e desenhos, dentre outros.

O estilo de vida e o aprendizado

Recentemente cientistas têm descoberto que o estilo de vida influencia na capacidade do cérebro em formar conexões neuronais. Levar uma vida saudável, praticando esportes e se alimentando bem ajuda na capacidade do cérebro absorber informação. Estudos mostram que pessoas que praticam atividade física têm melhor atividade cerebral, melhor vascularização e oxigenação dos tecidos nervosos, o que melhora a aprendizagem.

A dieta também tem papel importante nesse processo. Certos alimentos melhoram as funções cognitivas do cérebro. A lista de alimentos que se prestam a esse fim é grande, mas alguns exemplos incluem:

- Peixes de águas frias ricos em ômega 3, como o salmão.

- Alimentos ricos em vitaminas do complexo B, como aveia (vitamina B1), amêndoas e arroz (vitamina B2), amendoim e brócolis (vitamina B3), banana e gérmen de trigo (vitamina B6), dentre outros.

- Alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas, caju, acerola, dentre outros.

- Alimentos ricos em fósforo e magnésio, como sementes de girassol, peixes, tofu e leguminosas.

- Azeite de oliva, devido ao seu rico teor em ácidos graxos poli-insaturados.

- Frutas vermelhas, pois são ricas em antioxidantes, carotenoides, vitamina E e selênio, que ajudam a evitar danos nas células nervosas.

- Kiwi e maçã, ricos em fisetina, que estimula a formação de conexões nervosas.

ovo- Alimentos ricos em vitamina D, como o óleo de fígado de bacalhau, pois estimula a regeneração neuronal e ajuda na fixação de cálcio, elemento importante para a memória.

- Alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados, pois o cálcio é um elemento importante nas transmissões neuronais.

- Ovo, pois é rico em colina, precursor do neurotransmissor acetilcolina, que tem funções de transmissão de impulsos nervosos, formação e regeneração celular.

Tente praticar essas dicas para turbinar o seu aprendizado.

 
Top