Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético


Alimentos integrais, fontes de carboidratos, fornecem fibras e energia ao organismo

Como você se sente ao comer pão ou massa? Se a resposta for “culpado”, saiba que não está sozinho. Metade das britânicas tem essa sensação depois de ingerir carboidratos, sendo que uma em 10 admite que o consumo faz com que se sinta mal consigo mesma durante o “dia todo”. Eles são vistos como vilões e já foram acusados de causar obesidade, diabetes tipo 2 e até mesmo câncer e demência. Mas a fama não representa bem a realidade. “Uma dieta com ausência de carboidrato pode ser tão ou mais prejudicial do que uma dieta rica, pois é a principal fonte de energia e também é fundamental para o funcionamento do organismo”, disse a nutricionista Alessandra Paula Nunes, da Salutem - Nutrição e Bem Estar.

O problema é que essa má reputação dos carboidratos faz com que muitas pessoas pensem em eliminá-los por completo das refeições. “Na falta de carboidrato, o corpo vai buscar os estoques de açúcar do fígado e depois dos músculos, acarretando em catabolismo, ou seja, na perda de massa magra”, explicou Alessandra. “Também faz com que reduza os níveis de serotonina, sendo assim a pessoa fica mais mal-humorada, o hálito muda, aumenta os quadros de tontura e dores de cabeça, o intestino não funciona adequadamente, devido à diminuição do consumo de fibras, e ainda ocorre a falta de energia para exercer as atividades do dia a dia”, completou.

Achou pouco? Ainda tem mais! A “estratégia” de cortar o item para perder peso funciona apenas no começo. Mas, devido à falta de energia e funcionamento do organismo prejudicado, o corpo começa a armazenar o máximo de energia possível. Além disso, vai fazer com que haja um aumento no consumo de outros alimentos para compensar, como leite e derivados, carnes vermelhas, peixes, aves e outras fontes de proteína. O resultado? Aumento de peso.

De fato, algumas pesquisas sugerem que dietas contendo carboidratos são melhores para dar adeus a alguns quilinhos. Um estudo com mais de 4 mil pessoas, publicados no Journal of the American Dietetic Association, descobriu que os que comiam mais carboidratos tinham 40% menos probabilidade de serem obesos e acima do peso em comparação com os que ingeriam menos.

Escolha certa 
A chave da questão está na escolha dos carboidratos. De fato, alguns deles, os processados, não são bons à saúde. É o caso dos açúcares refinados, doces em geral (chocolate, bolo, sorvete), refrigerante e alimentos com farinha branca. “Esses alimentos têm maior índice glicêmico, uma medida da taxa na qual o açúcar é digerido. Isso significa que você está mais propenso a ter um súbito aumento do açúcar no sangue, seguido por uma queda súbita e, em seguida, sentindo vontade de petiscar”, comentou Helen Bond, porta-voz da Associação Dietética Britânica, ao jornal Daily Mail 

Mas não precisa ser radical e aboli-los 100%. Basta saboreá-los apenas ocasionalmente, como informou a nutricionista Alessandra. “Quando proibimos alimentos, nós os codificamos com ‘mau’ e ‘especial’, e é aí que começamos a desejá-los”, comentou Jane Ogden, professora de psicologia da saúde da Universidade de Surrey, na Inglaterra. “Comer uma massa, um docinho e até mesmo uma bebida alcoólica de vez em quando não faz mal para ninguém e ainda deixa a pessoa feliz”, completou Alessandra. 

Os carboidratos que apresentam maior quantidade de fibra na sua composição trazem maiores benefícios à saúde, pois melhoram o funcionamento do intestino, aumentam a sensação de saciedade, retardam a absorção de glicose e fornecem energia ao organismo por mais tempo. Os representantes desse grupo são arroz, massas e pães, todos integrais. Aliás, pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, mostraram recentemente que uma dieta rica em grãos integrais está ligada à longevidade. 

“É difícil conseguir bastante fibra, caso você remova os carboidratos. E sem o suficiente, você vai certamente tornar-se constipado”, disse ao Daily Mail o gastroenterologista Peter Whorwell, do Hospital Wythenshawe, na Inglaterra. “Isso não só é desagradável, mas pode causar problemas digestivos e condições como hemorroidas. Há também evidências de que as fibras têm um efeito protetor contra o câncer de cólon”, finalizou Wythenshawe.

Dicas 
Em vez de cortar carboidratos, diminua-os. “Se a pessoa não faz atividade física, reduzir o carboidrato, principalmente nas refeições noturnas, tem se mostrado uma estratégia interessante para o controle de peso”, ensinou a nutricionista Alessandra. Associar o consumo deles com proteínas magras também pode fazer com que a absorção ocorra de forma mais lenta.

 
Top