Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético


Resumo
Desde que o homem abandonou a postura quadrúpede, foi preciso necessária consciência e coordenação, passando para um equilíbrio mais impreciso que necessitou harmonia e estabilidade estabilidade.

Vantagens foram conquistadas e estabelecidas e, ao mesmo tempo,desvantagens que traduzem-se em sofrimentos de ordem mecâno-postural.

Este texto objetiva apresentar algumas destas adaptações e seus resultados como forma de contribuição para o aperfeiçoamento referente a este tema tão antigo ao mesmo tempo tão atual.

Palavras chave:Evolução,Postura,Adaptação

As primeiras discussões acerca da evolução humana incorporaram a noção de progresso,e,especificamente o Homo Sapiens,era considerado o propósito final da evolução,despertando para questionamentos sobre a visão por tanto tempo sustentada de que os seres humanos são singulares,um tipo totalmente novo de organismo.1

Segundo alguns estudiosos da Biologia, a evolução não tem um propósito.O filósofo Karl Popper (1968)descreve que, uma teoria não é científica a menos que possa ser refutada se estiver errada.Então por ser tão flexível a teoria da evolução pode ser ampliada a fim de explicar qualquer observação imaginável,não sendo,portanto,refutável ou testável ,não sendo portanto uma teoria científica.2

Mantendo a conquista                                                                                                     Assim como um pêndulo invertido,quanto mais nos distanciamos do eixo vertical mais compensaremos.Quando os pontos de referência passam analogamente á linha da gravidade,existe uma distribuição equilibrada do peso dos segmentos corporais com uma distribuição equilibrada de peso,uma posição estável de cada articulação e uma mínima atividade muscular.Quando por outro lado,estes pontos de referência afastam-se da linha vertical revelam a extensão na qual o alinhamento é defeituoso.3,4                                                                                                                                        
Desde o Ramapithecus,a busca pelo equilíbrio de um ângulo sacral de 32 graus com o disco L3/L4 estritamente horizontal com uma conseqüente anteriorização de L3 que proporcione uma lordose lombar harmoniosa,istmos articulares livres e uma mobilidade normal vem sendo o objetivo primário.  

Incongruências
A conquista humana da bipedia foi possibilitada pelas incongruências surgidas derivando menos encaixe com maior amplitude de movimento e por outro lado mais encaixe em detrimento de menos amplitude.

Três articulações definem melhor estas associações estabilidade/movimento:               

Quadril: A principal função do quadril baseia-se na predominância de uma estabilidade para sustentação de peso,necessitando desta segurança para o movimento da marcha.O quadril  apresenta um maior encaixe ósseo e também um reforço adjacente de músculos grandes e fortes.O acetábulo (local de encaixe da cabeça do osso fêmur) é mais profundo em relação ao encaixe do da cabeça do osso Úmero na cavidade glenóide do ombro permitindo a bipedia sustentada do homem atual.3,4

O joelho que atua de uma forma intermediária entre sustentação e mobilidade necessitou da atual incongruência articular preenchida de uma forma mais harmônica entre estabilidade e movimento.Este “preenchimento”supriu a falta entre os ossos Fêmur(Coxa) e Tíbia(Perna) através de estruturas “elásticas e móveis” com capacidade de adaptação as variantes locais e gerais.3,4,5,6

O ombro que no passado relacionava-se á locomoção,abandonou tal tarefa para então se especializar predominantemente na mobilidade auxiliando os movimentos elaborados da mão.Para tal objetivo funcional o Ombro foi basicamente preenchido por partes moles e um raso encaixe articular proporcionando muitos tipos e variações de movimento em grandes ampliudes.3,4,5,6
                                                                                                                          
Crânio e Encéfalo
Os cérebros  ficaram maiores e ao longo do tempo cada vez mais energeticamente exigentes.O cérebro humano moderno responde por 10-12% da demanda de energia de um corpo em repouso,comparado aos ancestrais.7,8

Com relação ao tamanho, os modernos Chimpanzés apresentam 400 cm cúbicos enquanto que o do humano atual é de 1.350 cm cúbicos.O nosso ancestral homo hábilis apresentava 600 cm cúbicos e o erectus aproximadamente 900 cm cúbicos.

O forame magno  medializou-se devido o corpo ter que se apoiar sobre dois apoios e não mais, quatro apoios,marcando a supremacia e a relativa independência frente á coluna da cabeça. Esta supremacia foi ancorada pelos músculos esternocleidomastóideos, cujo papel é preservar ou restabelecer a horizontalidade do olhar,corroborando com a postura ereta mantida.9,10

Quando uma curva anormal da coluna vertebral (Escoliose) ou um torcicolo desvia a coluna e a cabeça,o ser humano, para preservar a horizontalidade do olhar, “adota”uma postura compensatória.                                                                                                                                                   
Para que desempenhem tal função estes músculos  não possuem inserção sobre a coluna,são ligados por conexões nervosas ao complexo vestibular e aos núcleos óculo-motores, participando assim, do nosso equilíbrio e da coordenação entre a direção do olhar e os movimentos do pescoço ou da cabeça através do nervo espinhal.11

Resumindo,uma vez que o cérebro,em um bípede,está apoiado na extremidade de uma espinha vertical,o forame magno está localizado próximo ao centro do crânio.Ele situa-se nos Símios , na região posterior da base do crânio e com relação a horizontalidade do olhar,esta sempre é imperiosa fazendo com que ocorra compensações para mante-la.12

Sensores
Três sensores atuando de maneira interligada entre eles e entre outros elementos permitem respostas adaptativas de equilíbrio,visão e soma.

Em nossos ancestrais estes mecanismos foram bem menos aperfeiçoados devido a melhor estabilidade postural proporcionada pelos quatro apoios.

Para que permaneçamos em pé,esta “quase” imobilidade necessita de um cuidado integrado entre muitas informações e processamentos dos deslocamentos mínimos da massa corporal para que permita uma projeção do centro de gravidade dentro dos estreitos limites do polígono de sustentação humano.Biomecanicamente estes deslocamentos correspondem ás oscilações mínimas,inferiores a 4 graus da base para a cabeça (pêndulo Invertido)14,15

Os “sensores” posturais adaptaram-se a uma estabilidade mais precária.Além do Sistema Vestibular que proporcionou um equilíbrio da cabeça,o sistema visual proporcionou a noção de espaço e o sistema somatossensorial foi desenvolvido para que houvesse um melhor recebimento e interpretação dos estímulos sensoriais:

Sistema Visual: fornece informação sobre posição e movimento de um objeto no espaço (exterocepção) além de promover a informação relativa á porção e movimentos relativos ao ambiente e ao resto do corpo (propriocepção visual) através dos olhos.

O sistema visual é o que o corpo mais confia nas tarefas de manutenção da postura e do movimento mas por outro lado,tem um papel reduzido na postura ereta mantida quieta além de reflexos de feedback mais lentos14,15


Este sistema comporta portanto duas fontes complementares de informação:


1.A visão que situa o individuo no seu ambiente através de coordenadas retineanas;
2.A motricidade ocular,que situa o olho na órbita através de coordenadas cefálicas a partir dos receptores proprioceptivos dos músculos extra oculares.

Sistema Vestibular: fornece informações sobre posição e movimento da cabeça em resposta á força da gravidade e forças inerciais.As acelerações angulares que são efetivas na detecção de rápidas acelerações é fornecida pelos Canais Semicuirculares, localizados no Labirinto Membranoso.As Acelerações lineares são detectadas pelo Utrículo e Sáculo

A endolinfa,os estatocônios (otólitos) do ouvido interno e o sistema de regulação vestibular definem como complementos indispensáveis para interpretação dos dados referentes ás ações e recebimentos das forças atuantes.14,15

Sistema Somatossensorial: proporciona informação sobre a posição do corpo no espaço relativo á superfície de suporte.

Este sistema também contribui com as informações de posição e velocidade relativa entre os segmentos do corpo e informação sobre as pressões agindo na interface segmento-base de suporte.

O sistema somatossensorial,difere-se do visual por ser um sistema de feedback mais efetivo para as perturbações rápidas sendo então nos idosos uma importante escolha nas estratégias de manutenção postural.14,15

Membros Superiores
Desde o Paleolítico Inferior (2 milhões de anos),em que nossos ancestrais utilizavam machados de mão,passando pelo Paleolítico médio onde já se utilizava os raspadores de pedras para chegar a uma especialização mais enfática da mão no Paleolítico Superior (100 mil anos) utilizando a mão nas tarefas de fabricação de flechas e instrumentos de corte mais talhados além dos utensílios de bronze,cobre e ferro,a evolução da mão humana e as conseqüentes habilidades manipulativas tem sido fatores consideráveis no desenvolvimento do cérebro ou vice-versa.16,17

Com relação ao cotovelo,nos chimpanzés que caminham sobre os nós dos dedos,estes possuem uma cavidade profunda e oval na base do Osso Úmero (local onde o úmero e a Ulna se prendem) com o objetivo de tornar a articulação do cotovelo mais estável para a firmeza da locomoção e sustentação de carga, o que não ocorre no homem atual que desenvolveu a prono-supinação para atividades de manipulação e não de locomoção e também  aponta que esta característica do chimpanzé não se aplica ao homem pois este não andava sobre o nó dos dedos.18

Outras adaptações como o desenvolvimento das Clavículas,deslocamento posterior das escápulas e também uma migração do músculo Peitoral menor,passando do osso Úmero para o processo 

Coracóide da Escápula permitindo a liberdade para as capacidades humanas de uso das mãos são considerações marcantes na postura humana atual, além de,os músculos do braço humano tornaram-se grandes flexores apresentando  uma supinação de 180 graus em comparação com os 80 graus no Gorila.19,20

Coluna Vertebral e Pelve
Algumas características são notadas na evolução destas estruturas importantes da postura ereta humana:                                                                                                     

1.Encurtamento do osso Ilíaco para uma expansão em sentido antero-posterior do canal de nascimento, e a  aquisição de uma forma mais ovóide;

2.Deslocamento do músculo glúteo máximo para trás da articulação do quadril modificando sua função de abdução para extensão;                                                                                                             
3.Mudança de inserção dos músculo glúteo médio e mínimo transformando em abdutores do quadril para estabilização da pelve durante a fase de oscilação da marcha bípede

4.Deslocamento posterior e para baixo do centro de gravidade humano encurtando o tronco e alargando-o no plano médio lateral e consequente afinação no plano ântero posterior .Devido a esta ação gravitacional os membros inferiores se tornaram mais pesados em comparação com os macacos que apresentam um maior peso na região torácica;

5.Diminuição no número de vértebras lombares acompanhado de uma hipertrofia, e estas adotaram uma posição mais centralizada no tronco,possibilitando o aparecimento de uma curva lombar mais acentuada,que resultou na sacralização da ultima vértebra lombar;

6.O osso sacro aumentou seu numero de vértebras de três para cinco e também aumentou em altura,largura e espessura proporcionando base de suporte para a quinta vértebra lombar  com indução da formação de uma angulo entre a região lombar e sacral (32 graus);

7.Os ligamentos espinhosos centrais da coluna vertebral são menos desenvolvidos nos quadrúpedes e  também os ligamentos espinhais laterais são exclusivos nos bípedes podendo ter relação com o equilíbrio e instabilidade no plano sagital e coronal na postura ereta;

8.Aumento da eficiência do assoalho pélvico com fortalecimento de três camadas musculares cruzadas para uma melhor estabilidade para a sustentação em pé;


A coluna vertebral de um chimpanzé não apresenta as quatro curvas principais igual a humana.Um chimpanzé não precisa de curvas para manter seu centro de gravidade mas por outro lado ele “ginga” mais.Os primeiros hominídeos tinham seis vértebras lombares, diferente das cinco atuais,isto nos leva a presumir que o modo de andar dos humanos primitivos era diferente do moderno.21,22,23,24 
Nos quadrúpedes,cada vértebra recebe uma carga vertical em separado,resultante de um esforço diferente da coluna vertebral humana.


A locomoção humana
Nos parece conveniente descrever as primeiras etapas do crescimento para despertar uma analogia ás primeiras etapas do surgimento do homem atual                                                                                                                                                                    
A partir dos três anos de idade a coluna lombar adota uma ligeira lordose lombar,a qual irá se consolidar aos oito anos de idade , tornando-se uma curva definitiva aos dez anos de idade apresentando uma tendência ao abdômem protruso que é, característico nesta faixa etária21,22,23,24,25 “o feto humano encontra-se no útero numa posição de flexão total,com a coluna vertebral em “C” ,cifótica e o único músculo de inervação voluntária, que está em atividade é o Íliopsoas, que permite ao feto dar pontapés,porem não podendo dar cabeçadas”. 26                                                 

Nas primeiras semanas de vida ao tentar levantar a cabeça, o bebê humano desenvolve a curva lordótica cervical, já tendo uma ação contra a força gravitacional e também o ato de mamar também pode ser considerado um exercício de fortalecimento cervical.26

Quando a criança atinge os nove meses começa então a engatinhar e a sentar, proporcionando o surgimento mais aparente e eficaz dos músculos posteriores da região lombar(antigravitários) desenvolvendo e moldando a lordose lombar e  elevando com freqüência os braços para a vertical,  permitindo desenhar sua segunda curva lordótica a nível da décima primeira vértebra torácica e décima segunda além das primeiras e segundas vértebras lombares (transição dorsolombar), sendo que  este desenho da-se através do Músculo Grande Dorsal,elevando  as quatro ultimas costelas, e também pela tração anterior exercida pelo diafragma sobre a região dorso lombar nessa posição inspiratória.26                                                                                                                                                     
Com a posição ereta adotada, a posição flexionada dos joelhos desaparece e daí os membros inferiores se aproximam e então para que a criança fica em pé é então necessário um amadurecimento a nível neuromuscular manifestado no controle esfincteriano e  dos glúteos27,28

Na formação total da lordose lombar existe portanto, uma disposição que  libera o Osso Sacro e o Osso Coccix que representam a extremidade que serve de suporte ao períneo e á função sexual.                                                                                                                                            
A quinta vértebra lombar assegura então, o apoio lombo-sacro 27,28
Dos dois aos seis anos aproximadamente, os joelhos humanos ficam mais juntos (se valgizam) para proporcionar uma base mais ampla, através de uma torção da Tíbia.

Proporcionalmente mais volumosa que a do adulto, a cabeça da criança estabelece um confronto de forças para a harmonia com a linha de gravidade aproximando seus segmentos para o meio do polígono de sustentação cada vez mais reduzido (da quadrupedia á bipedestação).Ela  se posiciona para o equilíbrio inicial nos membros inferiores que estão em flexão,joelhos e pés separados sendo uma postura, uma atitude ainda de trânsito em que existe uma grande possibilidade de cair e ao mesmo tempo de se eretizar.29


Nesta fase inicial já podemos notar os determinantes da futura marcha bípede característica do homem:


1.Uma rotação e Obliqüidade Pélvica;
2.Flexão do joelho no apoio;
3.Valgo adequado dos joelhos.

Estes determinantes se traduzem em requisitos básicos através de uma estabilidade no apoio, a passagem livre do pé humano na fase de balanceio e uma conservação de energia com ênfase nas contrações musculares excêntricas.

Durante a marcha humana, a pelve inclina-se e os músculos glúteo médio e glúteo mínimo que ligam o Fêmur á pelve contraem-se na fase postural impedindo uma queda na direção da perna livre.Esta “ginga”permite ao humano uma dissociação das cinturas pélvica com a cintura escapular sem necessitar de aumentar o raio de ação que quanto maior menos estabilidade na marcha.30,20,21,22

Se um macaco tentar caminhar como um bípede oscilará lateralmente o suficiente para que o centro de gravidade,que se encontra entre suas pernas afastadas,desloque-se,alternadamente,para cada um dos pés a cada passo.Fazendo um movimento pendular com o corpo,um macaco gastará uma grande quantidade de energia para então caminhar ereto.30,29

Por outro lado, quando o humano caminha, seu centro de gravidade se desloca apenas poucos centímetros devido os pés se localizarem lado a lado quando parados e  em pé, e quando da caminhada,a distância entre os pés,vista anteriormente, continua a mesma (os pés na marcha 
continuam próximos á linha média do corpo)

Tanto nos quadrúpedes quanto nos bípedes,as articulações do quadril encontram-se afastadas entre si, mas no bípede o fêmur se direciona obliquamente para baixo e para dentro,de modo que as articulações do joelho fiquem bem próximas,na linha media do corpo.As tíbias descem diretamente para o chão.A superfície articular dos joelhos fica paralela ao solo, de modo que o eixo longo do fêmur fica inclinado em relação a essa superfície,formando um ângulo de sustentação.30,29,23,24

No chimpanzé a cabeça da Tíbia,próxima ao joelho,lembra a forma de um T enquanto que nos Humanos,a cabeça da Tíbia é mais larga devido a presença de mais tecido ósseo esponjoso,que serve para absorver impacto durante a postura e locomoção ereta.

O pé dos seres humanos é uma plataforma,construída para a bipedia,enquanto por exemplo,o pé do Gorila é um órgãos mais especializado para “agarrar”.

Uma diferença importante concentra-se na relação entre o Hálux (dedão) e os outros dedos do pé,onde,nos seres humanos,o dedão é paralelo aos outros dedos e nos Símios este é oponível.30,23,22,21,20

Com relação aos pés,os do primata superior,no Homem o Ligamento Metatársico Transversal retém 5 dedos no Homem e 4 no chimpanzé.

O desenvolvimento normal de uma criança obedece algumas etapas que são norteadores ao serem citadas para analogias na adoção da postura bípede humana:

O mês:postura fetal (posição em flexão com a curvatura cifótica presente)

1 mês: levanta o queixo (exercitando sua região cervical e estimulando a lordose cervical que também pode ser estimulada e exercitada no ato de mamar).


2 meses: levanta o peito (exercitando os extensores vertebrais como forma de preparo pra a manutenção  reação á força gravitacional quando de pé).



3 meses: procura agarrar-deixa escapar (desenvolvimento coordenação,equilíbrio  uso elaborado de apreensão da mão com conseqüente auxílio de prono-supinação do antebraço) e também desenvolve as concentrações de imagem visual,cores e profundidade.



4 meses: senta com apoio ou ajuda (coordenação e equilíbrio)



5 meses: senta no colo (interação e proximidade)



6 meses:senta-se na cadeira alta e agarra objetos móveis (a cadeira alta pode ser uma simbologia de crescer para cima,ficar ereta)



7 meses:senta-se sozinho (autonomia)



8 meses:fica de pé com ajuda (para exercício de confiança em sua estabilidade ereta)



9 meses:fica em pé e apóia na mobília (maturação neural)



10 meses:engatinha (prepara para locomoção e postura ereta) e também sente a estabilidade perdida dos quatro apoios



11 meses:anda quando está sendo guiada (segurança e confiabilidade e ao mesmo tempo atenção)



12 meses:fica de pé com o auxílio da mobília



13 meses:subir degrau de escada



14 meses:fica de pé sozinho para marcar sua supremacia, e relativa independência frente á coluna.


15 meses:anda sozinho (prepara para uma relação de forças contra a ação gravitacional).


Conclusão

A conquista humana proporcionou vantagens e desvantagens para que o homem não  esqueça que não está pronto e acabado e, que deve sempre existir esta falta que proporcione sempre o crescimento.
Com uma curvatura lombar da coluna vertebral;uma pelve curta e larga e membros inferiores longos  que aproximou os joelhos para uma posição mais próxima ao centro de gravidade,o representante do filo “Cordata”da ordem dos “Primatas”,da família dos “Hominidae” e da espécie”Sapiens”surgido na Era Cenozóica no período Quaternário na época Holocênica conquistou seu espaço.

Fonte: RevistaFisiobrasil
 
Top