Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético

O comportamento humano sofre inúmeras influências. E a mudança de atitudes ou de comportamento possui relação direta com alguns fatores. De acordo com o psicólogo e psicoterapeuta Rogério Martins, são cinco os fatores que podem influenciar nosso comportamento. A saber:

   a)   Antropológico ou cultural - Fator relacionado a questão de cultura de um povo ou grupo social. Por exemplo, as pessoas que frequentam uma determinada igreja tem hábitos semelhantes quanto a vestimenta, atitudes e comportamento em geral. Pessoas que mudam de religião tendem a assumir novas posturas exigidas ou recomendadas por este novo grupo.
      
   b)  Socioeconômico - Pessoas que moram em locais mais pobres ou ricos tem, em geral, características mais semelhantes entre si. É comum termos notícias de pessoas que se tornaram ricas de forma rápida e passaram a agir de modo diferente com seus amigos, parentes etc.

  c)   Biológico ou Fisiológico Está relacionado ao físico. Um exemplo clássico é a mulher grávida. A alteração hormonal proporcionada pela gravidez gera em algumas mulheres alteração no comportamento. 

A médica Thauane Ferreira foi flagrada registrando
o ponto dos colegas de forma irregular.
   d)  Ambiental - Tem a ver com o local onde as pessoas moram, trabalham, vivem. Estudos comprovam que cidades onde há maior incidência de sol as pessoas tendem a agir de modo mais alegre, receptivo e espontâneo. Locais mais frios, com pouca incidência de luz natural na maior parte do tempo faz que seus habitantes tenham mais comportamentos sóbrios, depressivos e individualistas.

   e)   Psicológico - Está relacionado ao estado emocional das pessoas, modo como foram criadas e tratadas desde a infância até o momento atual. Pessoas que só receberam elogios tendem a não ter noção dos limites. Aqueles que na maior parte do tempo foram criticados por parentes, amigos, professores e outras pessoas tendem a desenvolver uma baixa autoestima.

Destaca Rogério Martins que estes fatores não são definitivos, mas certamente apontam alguns caminhos para que se entenda a variedade de comportamentos do ser humano.

Mas porque busquei este assunto para a edição desta semana do Blog? Por um motivo especial, minha preocupação com o pouco caso que grande parte dos alunos e alunas do curso técnico em segurança do trabalho fazem do conteúdo de psicologia e ética. Um conteúdo que se faz extremamente importante e necessário na formação de profissionais prevencionistas.

A importância de agir com ética na profissão também
deve ser ensinado nas escolas.
Como entender um comportamento inadequado de trabalhadores durante as atividades profissionais? Por que o trabalhador submetido a situações de crise no ambiente doméstico está suscetível a acidentes de trabalho? Que atitude se deve tomar num momento de conflito com funcionários que se recusam a adotar uma postura segura no ambiente da empresa? Estas são situações para as quais o técnico em segurança do trabalho deve estar preparado, pois vai conviver com elas inúmeras vezes.

E não somente para estas situações serve o conteúdo curricular de psicologia e ética. Não se deve esquecer de quanto o técnico de segurança do trabalho deve ser um profissional ético, pois seu exemplo de comportamento, essencialmente no tocante ao comportamento prevencionista, serve de modelo para a maioria dos trabalhadores. E como modelo, deve permear por atitudes coerentes no que fala e no que faz.
   
Esta semana uma noticia chamou minha atenção para a importância deste conteúdo curricular nos cursos de formação destes profissionais. A médica do SAMU de Ferraz de Vasconcelos, município na região metropolitana da capital paulista, Thauane Nunes Ferreira, foi presa em flagrante registrando o ponto de colegas fazendo uso de dedos de silicone com impressões digitais. Segundo ela, fazia estes registros obedecendo a ordens do coordenador do SAMU, Jorge Cury.

Uma análise a grosso modo do caso, mostra a importância do compromisso ético dos profissionais que lidam com a saúde, pois em grande parte servem de exemplo para os que os cercam. Mesmo que a médica presa em flagrante delito, tenha sido orientada por sua chefia imediata para tal tarefa, deveria ter em mente quais as repercussões e consequências de tal atitude. E isso só é possível, quando o profissional tem em mente o significado de um comportamento que leve em consideração e ética e a moral.
Uma grande parcela de alunos crê que conteúdos como o
de Psicologia e Ética são irrelevantes na formação profissional.

Não vou aqui fazer reflexões sobre as diferenças entre estes conceitos, pois haveria necessidade de resgatar teses e pesquisas sobre o assunto. Mas tão somente gostaria de chamar a atenção de uma grande parcela de alunos e alunas de nossos cursos técnicos que desdenham de um conteúdo  importante na formação de profissionais íntegros e exemplares: Psicologia e Ética. Se você, aluno ou aluna de cursos técnicos, tem a impressão de que isso é conteúdo prá "encher linguiça", posso afirmar que estão redondamente enganados. Nunca foi tão importante em nossos dias entender conceitos e comportamentos numa realidade que sofre influências das mais diversas.   

Fontes de Consulta: www.saladeterapia.blogspot.com (acesso em 14.03.13)
 
Top