Já saber viralizar no Facebook?

Já saber viralizar no Facebook?
Seja Magnético


Sempre construa dois negócios:
- A sua empresa, que deve funcionar independente de você
- Você, como marca pessoal em que você em si é o produto.

Pensar em si mesmo como um negócio é disruptivo. Geralmente pensamos que negócios são somente empresas. 
Negócio é tudo que gera valor para a sociedade tendo como contra partida retorno financeiro.

O negócio que você tem somado ao negócio que você é resulta em muito mais do que a simples soma das partes.

Não pense que isso é ego ou orgulho. É estratégia de negócios. Transformando sua marca pessoal em um negócio você estará pondo seu ego em favor da sua empresa.

*** Por que isso dá certo?

Pessoas confiam em pessoas. Pessoas compram de pessoas, não de empresas. Quanto mais capital social (traduzido por credibilidade) você tiver, mais sua empresa vai vender.

Jornalistas entrevistam pessoas, não empresas. Entrevistas são um poderoso argumento de autoridade. Quanto mais sua marca pessoal for evidenciada, mais entrevistas vai dar.

Em cada entrevista que você for fonte, o nome da sua empresa aparecerá - "Fulano de Tal, diretor da empresa XPTO" - o que te dará a chance de divulgar seu negócio nos grandes veículos.

A credibilidade que você construir será automaticamente repassada ao seu negócio.

Pessoas praticamente pagarão para trabalhar com você. A visibilidade que você tem é transmitida a elas e elas sabem disso, ou seja, equipe mais motivada, turn-over menor, maior atração de talentos, liderança mais forte.

Aparecerão muitas oportunidades de negócios porque outros empresários irão querer fazer negócios com você porque eles confiam em você por aquilo que você fala. Sua visibilidade é uma espécie de selo de garantia do tipo "ele chegou até aqui, logo não vai se queimar à toa".

Há muitas vantagens em se tornar a si próprio um negócio.

*** Como funciona na prática?

Você, como negócio, terá uma assistente pessoal e um social media que trabalhe apenas sua marca pessoal. No início, você será seu social media e sua assistente será a secretaria da empresa, mas tente separar as coisas o mais rápido possível.

Se você é um negócio, saiba que você deverá ter tudo o que um negócio tem: posicionamento, fachada (aparência, roupa), público-alvo, proposta de valor, produtos etc.

Seu conteúdo será seu principal produto. Esse conteúdo será divulgado em formas gratuitas - redes sociais, e-books, vídeos no YouTube, entrevistas, podcasts - e formas pagas - livros, palestras, consultorias, coach, mentoria, Mastermind e outros formatos informacionais pagos.

Seu conteúdo deverá impactar profunda e verdadeiramente as vidas das pessoas que tomarem contato com ele.

Se você gerar valor na vida delas, elas lhe retribuirão. Primeiro com o tempo delas, depois, algumas elogiarão seu trabalho (marcarão amigos nos posts, falarão de você, curtirão seu conteúdo) e, só então, algumas dessas comprarão seus produtos.

Você irá defender uma causa e não venderá produtos nem serviços da sua empresa de maneira ostensiva, apenas seus próprios produtos e de maneira sutil. Porém, suas histórias obviamente terão como pano de fundo a sua empresa. Sua empresa é apenas pano de fundo, não a protagonista da história.

Você, como um negócio, gera dinheiro com seu conteúdo e produtos de conteúdo. Seu negócio gera dinheiro com produtos e serviços. Mantenha esses dois caixas separados e lucrativos. Seu dinheiro deverá sair dos produtos do negócio "você". Tudo que sobrar, reinvista na empresa.

Tire de 1 a 2 horas por dia para cuidar desse seu negócio pessoal. Lembre-se de que seu foco é sua empresa. Você como negócio é apenas uma forte estratégia de negócios para alavancar sua empresa.

*** ATENÇÃO: o que começará como estratégia, irá gerar um efeito colateral: você ficará viciado em ajudar pessoas. E isso é bom 

A venda dos produtos da sua empresa acontecerá naturalmente uma vez que seu conteúdo tenha relação com a sua empresa. As pessoas perguntarão a você sobre sua empresa, dai sim, elas estarão te dando a permissão para vender de forma mais explícita.

Parte das suas histórias - que irão compor seu conteúdo - será histórias de clientes seus que tiveram sucesso com os produtos da sua empresa.

Prefira ter 1.000 pessoas de uma audiência leal do que 1.000.000 de fãs comprados. Conexão é a palavra-chave. As pessoas se conectarão com você, não com seu negócio, a princípio. Dedique-se a elas de maneira viceral, o restante virá como consequência.

Chegará um momento em que você não precisará mais da sua marca pessoal para alavancar seu negócio, mas a partir daí, você já terá sido fisgado pelo bichinho do "obrigado". Estará viciado em ajudar pessoas.

Considero essa uma estratégia poderosa para mudar seu negócio, mas também, para mudar o mundo - pergunte como eu sei 

*** conhece alguém que use essa estratégia? Comente no post para todos conhecerem essa estratégia sendo aplicada na prática.


*** Gostou? Compartilhe 

Conrado Adolpho

 
Top